segunda-feira, 29 de março de 2010

Idéias sobre Planos de aula

segunda-feira, 29 de março de 2010
Vez por outra alguns educadores e estudantes solicitam modelos de plano de aula ou orientações para construí-los.
Nos cursos de Pedagogia ou nas Licenciaturas, disciplinas como Didática I e II analisam e propõem perspectivas teórico-práticas de planejamento em sala de aula. Durante a formação inicial a habilidade de planejar aulas pode ser estimulada por experiências tais como: realização de oficinas ou mini-cursos, organização de seminários, preparação de encontros a serem desenvolvidos durante o estágio de regência, dentre outros. Mas, como relatei noutra postagem, aprender a planejar encontros pode acontecer também no fazer pedagógico, durante a atuação como docente.


Pesquisando sobre planejamento, notamos que há muito material tratando de Projeto Político Pedagógico e Plano de Ensino e pouca produção  a respeito do Plano de Aula. Por isso, resolvemos dialogar a respeito.
Para Libâneo (1994), "o plano de aula é um detalhamento do plano de ensino [1]", no qual  unidades ou subunidades definidas em linhas gerais podem ser especificadas e sistematizadas para uma situação didática real. Nesse sentido, dependendo dos objetivos da unidade, da proposta metodológica do educador e do perfil do grupo de estudantes com o qual o educador atuará, o planejamento de uma unidade de contéudo poderá contemplar uma ou mais aulas.
Takarashi e Fernandes (2004) compreendem o plano de aula como “(...) uma estrutura de decisões quanto aos fins e meios, apresentando os objetivos e a metodologia”. A partir desta definição, podemos refletir sobre alguns aspectos do plano de aula:
  • Todo projeto parte de um desafio, gira em torno de um tema delimitado, necessita de problematização para garantir aprendizagens significativas e ao educador é necessário ter bem claros seus objetivos e saber o que deve realizar para atingi-los. Definir objetivos e metodologia é um excelente exercício de autonomia;
  • As autoras dão destaque aos objetivos e metodologia, levando-nos a pensar que em torno deles giram outros elementos de um projeto/plano de aula, tais como: identificação, temática, conteúdos programáticos, cronograma, recursos, avaliação e referências;
  • Estes elementos devem estar coerentes entre si, isto é, um precisa completar o outro;
  • É indispensável o registro escrito do plano de aula e sua utilização como um roteiro de trabalho. E mais: a importância do emprego de um projeto só é percebida na prática.
Mas quais seriam as vantagens da elaboração e execução deste instrumento? De acordo com APRENDE BRASIL (2008), "Além de ser um guia para o professor, o plano de aula é importante porque garante uma melhor eficiência das aulas e, consequentemente, otimiza o aprendizado dos alunos (...)". Libâneo (1994)  concorda com essa idéia, ao afirmar que o plano de aula orienta as ações do professor, acrescentando que o mesmo possibilita constantes aprimoramentos de ano para ano.
O plano de aula, como qualquer projeto, não é uma espécie do "corda bamba" sobre a qual o educador deve caminhar a risca. Ao contrário, é um roteiro que, durante o processo de execução, pode ser alterado, tendo em vista garantir a realização de objetivos propostos.
Além  das vantagens, há uma outra questão que consideramos relevante refletir: haverá um modelo ideal para o plano de aula? Entendemos que não! Se buscarmos alguns exemplos, veremos que são vários os modelos e que quase coincidem em seus elementos. Nesse sentido, afirma Aprende Brasil que:
Não existe um modelo pronto e acabado de plano de aula. Algumas escolas adotam modelos próprios, seja num formato resumido ou mais detalhado, com referênicas bibliografias, indicação de leitura extra-classe para os alunos e até para recursos da internet, como links e documentos online. Isto significa que não há modelos certos ou errados e, sim, elementos que a maioria dos educadores usa para elaborar o seu plano de aula (...) (APRENDE BRASIL, 2008, p.47).

Concluímos esta postagem sugerindo aos leitores que procurem conhecer mais este recurso, lendo textos a respeito, analisando modelos de planos de aula e conversando com educadores que costumam utilizá-lo com frequência, fazendo do planejamento um instrumento de inclusão e transformação na educação. Noutras postagens pretendemos comentar os elementos do plano de aula, visando colaborar com a elaboração destes.

[1] Plano de ensino, conhecido por Menegolia e Sant'Anna (2003)  como Plano de disciplina, "(...) é um instrumento para sistematizar a ação concreta do professor, a fim de que os objetivos da disciplina sejam atingidos. É a previsão dos conhecimentos e conteúdos que serão desenvolvidos na sala de aula, a definição dos objetivos mais importantes, assim como a seleção dos melhores procedimentos e técnicas de ensino, como também, dos recursos humanos e materiais que serão usados para um melhor ensino e aprendizagem. Além disso, o plano da disciplina propõe a determinação das mais eficazes técnicas e instrumentos de avaliação para verificar o alcance dos objetivos em relação à aprendizagem".

Para saber mais, consulte:
• Um roteiro de aula baseado na metodologia da Pedagogia Histórico-Crítica

Referências
LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.
MENEGOLIA, Maximiliano; SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que planejar? Currículo – Área – Aula. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.
TAKAHASSI, Regina Toshie; FERNANDES, Maria de Fátima Prado. Plano de Aula: conceitos e metodologia. Acta. v. 17 n. 1 jan/mar. 2004.
APRENDE BRASIL. Plano de aula, por que elaborar um? Aprende Brasil. out/Nov. 2008.

6 comentários:

Rose Sampaio disse...

De fato o plano de aula é de suma importância na vida de um bom educador,porque é através dele que vem a orientação e as práticas pedagogicas vivênciada pelo o mesmo, para serem executadas na sala de aula. O educador tem o plano de aula como sua busola.
Aluna: Rose Sampaio

Anônimo disse...

De fato o plano de aula é de suma importância na vida de um bom educador,porque é através dele que vem a orientação e as práticas pedagogicas vivênciada pelo o mesmo, para serem executadas na sala de aula. O educador tem o plano de aula como sua busola.
Aluna: Rose Sampaio

Anônimo disse...

Tinha uma visão completamente distorcida no que se referia a planos de aulas, essa postagem ajudou-me á compreender melhor, hoje depois que passamos pelas disciplinas "didática I e II" a compreensão ficou completa, sabemos também , que existem milhares de materiais espalhados pela internet, mais a maioria não nos orienta com tamanha clareza.
Aluna Debora Cardoso
Professor: Francisco Sales Neto

Anônimo disse...

É importante que o pedagogo pesquise outros meios de informações sobre como planejar através de livros e cursos entre uotros,isso ajudará a se atualizar melhor.
De acordo com os assuntos dos textos,o professor não deve parar de buscar conhecimentos e esta sempre desenvolvendo novas habilidades.
Rosineide Ferreira,turma 8.

Anônimo disse...

Amei saber mas ideias sobre o plano de aula, hoje com essas dicas muito bem elaboradas vai me ajudar a refletir sobre como deve ser bem elaborado um plano e a diferença de um plano de aula e de um plano de ensino.
Agora eu saberei identificar um plano de aula e um plano de ensino. O plano de aula é um detalhamento do plano de de ensino.
Tânia turma 08 Facesa

Anônimo disse...

O texto objetiva esclarecer com riquezas de detalhes entre os autores citados e o autor do artigo, Mestre, Professor Francisco Sales Cunha, o melhor caminho para o entendimento entre educador e educando. Entre eles o papel fundamental do plano de aula, que contempla um elo de vários elementos cruciais para o desenvolvimento e exercício da autonomia de ambos.

Rosanna Cajango aluna 6º semestre de Pedagogia (FACESA)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Ateliê de Educadores © 2008. Design by Pocket