quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Uma dica para a escrita de textos

Reunir fontes com informações sobre um assunto que desejamos desenvolver não é tarefa difícil quando se tem em mente o desejo de produzir textos próprios.

A respeito de um assunto temos sempre algum conhecimento (conhecimento prévio) e é bom partir dele. Buscando o pensamento de outras pessoas a respeito do assunto de nosso interesse, criamos a oportunidade de adquirir novos conhecimentos.

A autoria de textos é fruto de um diálogo com a realidade, com os saberes que construímos e com os saberes sistematizados por outros autores. É um exercício de interação e reflexão.

Para adquirir a competência da escrita, a leitura é fundamental e hoje, com os recursos da internet, melhorou o acesso à informação e ao conhecimento por que por meio deles podemos acessar uma infinidade de fontes, tais como: textos escritos, imagens, músicas e vídeos. Diante disso, o desafio hoje é escolher fontes e informações confiáveis e relevantes para o avanço da produção de conhecimentos úteis à vida.

Há algumas décadas atrás utilizávamos especialmente enciclopédias com fontes de pesquisa. Hoje, provavelmente o meio mais consultado para o desenvolvimento de pesquisa é a internet. Entendo que devamos utilizar tanto os materiais impressos quanto os que se encontram na rede. No caso da necessidade de produzir textos consistentes é bom que busquemos textos que resultaram de reflexões filosóficas ou científicas.



Uma vez encontradas, escolhidas e reunidas as fontes, devemos dar início à leitura das mesmas. Realizar uma revisão de literatura (1) utilizando a técnica do fichamento (2) é um investimento cujos resultados poderão ser observados a médio ou longo prazo. Compreendendo a importância disso, costumo fichar todos os textos que leio, seja realizando anotações (a lápis) nos livros ou textos, seja armazenando comentários, críticas ou citações nos editores de texto, especialmente no Word. Mas além disso, um recurso que considero interessante utilizar é o quadro comparativo.

O quadro comparativo pode ser disposto numa tabela criada no Word ou no Excel. Na primeira linha, a partir da segunda coluna informa-se os nomes dos autores das fontes consultadas, seguidos dos anos de publicação. Na primeira coluna, a partir da segunda linha relacionam-se as palavras-chave (títulos das ideias que consideramos relevantes no texto). Nas demais colunas e linhas, as citações, associadas às palavras-chave.



Além da tabela é importante identificar o assunto sobre o qual trata o quadro comparativo e também as referências das fontes. Se estivermos, por exemplo, elaborando um quadro comparativo sobre planejamento, poderíamos obter a seguinte configuração:


A vantagem de elaborar quadros comparativos é que por meio deles podemos comparar ideias de diversos autores. Ao comparar ideias, inclusive com as nossas, promovemos uma espécie de diálogo e ampliamos o nosso conhecimento.

As ideias relevantes, identificadas pelas palavras-chave, poderão ser analisadas e dispostas numa sequência lógica, possibilitando a sistematização de um roteiro de escrita. Tendo o roteiro de escrita e as ideias, escrever o texto torna-se uma atividade menos complicada.

Essa é uma proposta para auxiliar a produção textual. Resta testar. Aguardo notícias.

Notas
(1) Para Bento (2012) “A revisão da literatura é uma parte vital do processo de investigação. Aquela envolve localizar, analisar, sintetizar e interpretar a investigação prévia (revistas cientificas, livros, actas de congressos, resumos, etc.) relacionada com a sua área de estudo; é, então, uma análise bibliográfica pormenorizada, referente aos trabalhos já publicados sobre o tema. A revisão da literatura é indispensável não somente para definir bem o problema, mas também para obter uma ideia precisa sobre o estado actual dos conhecimentos sobre um dado tema, as suas lacunas e a contribuição da investigação para o desenvolvimento do conhecimento.”

(2)  De acordo com Marconi e Lakatos (1995), fichamento é uma forma de investigar que se caracteriza pelo ato de fichar (registrar) todo o material necessário à compreensão de um texto ou tema. É uma parte importante na organização da pesquisa, permitindo um fácil acesso aos dados fundamentais para a conclusão do trabalho.

Referências
MARCONI, M.A; LACKATOS, E.M. Metodologia do trabalho científico. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1995.


BENTO, António V. Como fazer uma revisão de literatura: considerações teóricas e práticas. Disponível em: . Acesso em: 10 Out. 2015.

0 comentários:

AS PLANTAS CURAM!

AS PLANTAS CURAM!
Clique na imagem e saiba como.

Aprenda a vender pelo Facebook. Clique na imagem e saiba mais.

Aprenda a vender pelo Facebook. Clique na imagem e saiba mais.
Os módulos abordados abrangem desde introduções ao Marketing Digital até a demonstração de que fazer parte do Facebook

Adquira o meu livro sobre o Liceu do Ceará

Quer apoiar nossas publicações? Doe o que puder!