Participe!

segunda-feira, 5 de março de 2012

Dia internacional da mulher

Em 8 de março celebraremos novamente o Dia Internacional da Mulher. A origem desta data comemorativa encontra-se associada aos movimentos feministas que buscavam mais dignidade para as mulheres numa sociedade que ainda no século XVIII impunha às mulheres péssimas condições de trabalho, restrição aos espaços públicos e à cultura, exploração sexual, preconceito de gênero, dentre outras questões que feriam a cidadania das mulheres.

8 de março de 1857, na perspectiva capitalista, é uma data de referência para a comemoração do dia das mulheres, pois neste dia 129 tecelâs novaiorquinas da fábrica de tecidos Cotton foram trancadas e queimadas vivas no próprio ambiente de trabalho por iniciativa da polícia da época e dos donos da empresa, por reivindicarem melhores condições de trabalho, o direito de redução da jornada de trabalho diária de 16 horas para 12 horas, equiparação de seus salários aos dos homens e digno tratamento no ambiente de trabalho.

Durante a II Conferência Internacional de Mulheres, realizada na Dinamarca (1910), a feminista Clara Zetkin sugeriu que, em recordação às operárias de Nova Iorque – Estados Unidos da América, o 8 de março foi considerado Dia internacional da Mulher.

Em 1975, a Organização das Nações Unidasdeclarou a década de 1975 a 1985 como a década da mulher, reconhecendo o 8 de março como o seu dia. Em 1977, a Unesco considerou oficialmente este dia como o Dia da Mulher, em homenagem às 129 operárias queimadas vivas.

Em vários países a data vai além do caráter comemorativo. Além de homenagens às mulheres fazem-se conferências, seminários com o intuito de refletir sobre o papel da mulher na sociedade contemporânea, tendo em vista a superação do preconceito e das diferenças de gênero.

Pesquisadoras como Dolores Farias (UFC) e Naumi Vasconcelos (UFRJ), de acordo com Gionotti (2004), põem em questão a origem do oito de março, levantando a possibilidade do evento de 1857 nunca ter existido, baseando-se na obra de Renée Côté (1984): “O Dia Internacional da Mulher – Os verdadeiros fatos e datas das misteriosas origens do 8 de março, até hoje confusas, maquiadas e esquecidas”. A esse respeito, informa Gionotti (2004) que:

A canadense Renée Côté pesquisou, durante dez anos, em todos os arquivos da Europa, EUA e Canadá e não encontrou nenhuma traça da greve de 1857. Nem nos jornais da grande imprensa da época, nem em qualquer outra fonte de memórias das lutas operárias.
Ela afirma e reafirma que essa greve nunca existiu. É um mito criado por causa da confusão com as greves de 1910; de 1911, nos EUA; e 1917, na Rússia.
Essa confusão se deu por motivos históricos políticos, ideológicos e psicológicos que ficarão claros no fim do artigo.
Pouco a pouco, o mito dessa greve das 129 operárias queimadas vivas se firmou e apagou da memória histórica das mulheres e dos homens outras datas reais de greves e congressos socialistas que determinaram o Dia das Mulheres, sua data de comemoração e seu caráter político.
Já em 1970, o mito das mulheres queimadas vivas estava firmado. Rapidamente foi feita a síntese de uma greve que nunca existiu, a de 1857, com as outras duas, de costureiras, que ocorreram em 1910 e 1911, em Nova Iorque.
Nesse ano de 1970, com centenas de milhares de mulheres americanas participando de enormes manifestações contra a guerra do Vietnã e com um forte movimento feminista, em Baltimore, EUA, é publicado o boletim Mulheres-Jornal da Libertação. Neste já se reafirmava e se consolidava a versão do mito de 1857.
Mas, na França, essa confusão não foi aceita tranqüilamente por todas e todos. O jornal nº 0, de 8 de março de 1977, História d´Elas, publicado em Paris, alerta para esta mistura de datas e diz que, em longas pesquisas, nada se encontrou sobre a famosa greve de Nova Iorque, em 1857. Mas o alerta não teve eco.

As controvérsias estão postas. Salve a historiografia! Às mulheres socialistas devemos a real origem do dia internacional das mulheres.

Referência
GIANNOTTI, Vito. O Dia da Mulher nasceu das mulheres socialistas. Disponível em: <http://www.piratininga.org.br/publicacoes/mulher-miolo.pdf>. Acesso em: 05 Mar. 2012.


Frases para o Dia da Mulher
A história da mulher é a história da pior tirania que o mundo conheceu: a tirania do mais fraco sobre o mais forte. (Oscar Wilde).

Não se nasce mulher: torna-se. (Simone de Beauvoir).

A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova. (Léon Tolstoi).

O verdadeiro homem quer duas coisas: perigo e jogo. Por isso quer a mulher: o jogo mais perigoso. (Friedrich Nietzsche)

Cuida-te quando fazes chorar, uma mulher, pois Deus conta as suas lágrimas... A mulher foi feita da costela do homem e não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior... E sim do lado para ser igual, debaixo do braço para ser protegida e do lado do coração para ser amada! (Provérbio judaico)

Existem três coisas que os homens podem fazer com as mulheres: amá-las, sofrer por elas, ou torná-las literatura. (Stephen Stills)

A sabedoria das mulheres não é raciocinar, é sentir. (Immanuel Kant)

Quem não sabe aceitar as pequenas falhas das mulheres não aproveitará suas grandes virtudes. (Khalil Gibran)

Acredito que o talento especial da mulher é elétrico em movimento, intuitivo em função e espiritual em tendência. (Margaret Fuller)

0 comentários:

AS PLANTAS CURAM!

AS PLANTAS CURAM!
Clique na imagem e saiba como.

Adquira o meu livro sobre o Liceu do Ceará

Quer apoiar nossas publicações? Doe o que puder!